sábado, 9 de janeiro de 2016

RESENHA: RUÍNAS DE GORLAN - RANGERS #1



Título: Ruínas de Gorlan
Série: Rangers - Ordem dos Arqueiros #1
Páginas: 239
Autor (a): John Flanagan
Editora: Fundamento (2009)

Sinopse: "Durante a vida inteira, o pequeno e frágil Will sonhou em ser um forte e bravo guerreiro, como o pai, que ele nunca conheceu. Por isso, ficou arrasado quando não conseguiu entrar para a Escola de Guerra. A partir daí, sua vida tomou um rumo inesperado: ele se tornou o aprendiz de Halt, o misterioso arqueiro, que muitos acreditam ter habilidades que só podem ser resultado de alguma feitiçaria. Relutante, Will aprendeu a usar as armas secretas dos arqueiros: o arco, a flecha, uma capa manchada e... um pequeno pônei muito teimoso. Podem não ser a espada e o cavalo que ele desejava, mas foi com eles que Will e Halt partiram em uma perigosa missão: impedir o assassinato do rei. Essa será uma viagem de descobertas e aventuras fantásticas, na qual Will aprenderá que as armas dos arqueiros são muito mais valiosas do que ele imaginava."

Boa tarde, meus leitores! Após um período de "seca" aqui em casa, estou voltando com resenha nova para vocês. Ah, quase ia me esquecendo! Desejo a todos vocês um ótimo 2016. Que esse seja um ano de muitas conquistas e sonhos realizados e, claro, muitos livros lidos!

Namoro esses livros do John Flanagan desde que eles foram lançados aqui no Brasil, há 7 anos atrás.

Nunca tive a oportunidade de lê-los, pois sempre colocava outras leituras e aquisições na frente e esquecia de comprá-los. Isso mudou depois que eu encontrei esse exemplar do 1° livro da série por somente R$12,50, o que foi motivo suficiente para que eu o adquirisse.

O meu exemplar (uma edição mais recente) possui uma faixa na parte superior da capa com a frase: Mais de 8 milhões de cópias vendidas. Olhando assim eu pensei que era só pra chamar a atenção do leitor, mas quebrei a cara. O livro é ótimo, e nada melhor do que uma resenha pra contar mais sobre ele.

Pegue seu arco e sua aljava, vista sua capa, monte em seu pônei e venha conhecer mais um pouco sobre a Ordem dos Arqueiros!



Assim como outros órfãos protegidos do castelo de Redmont, Will sonhava com um futuro que se encaixaria perfeitamente com o que ele tinha em mente.

O maior desejo de Will era conseguir entrar para a Escola de Guerra no dia da Escolha e se tornar um soldado que serviria na guarda pessoal do barão Arald, porém, não foi bem isso o que o destino reservou ao garoto magricela.

Rejeitado pela Escola de Guerra e outros ofícios, Will pensou que seu futuro estaria destinado a ser um fazendeiro, mas tudo mudou por causa de uma simples mensagem em um papel.


Will é escolhido para ser treinado por Halt, um arqueiro muito misterioso e de poucos amigos. Muitas histórias macabras foram ouvidas a respeito dos arqueiros, e Will não queria ser visto como um.

Halt inicia um duro treinamento com o garoto, sem nem ao menos elogiar qualquer feito do mesmo e Will começa a aprender as técnicas secretas dos arqueiros como: andar furtivamente, ouvir tudo a sua volta, enxergar mais do que os olhos podem ver e etc.

Will terá muitas surpresas, amizades e passará por diversos apuros no decorrer da trama.

"— Halt é meu mestre, senhor, e ele está em perigo. Meu lugar é ao lado dele."

Halt, o mestre arqueiro.
Simplesmente, sem nenhum exagero, um dos melhores livros infanto-juvenil que eu já li.

No começo, somos apresentados a uma história que antecedeu os acontecimentos narrados na trama. Uma conspiração contra o trono de Araluen.

O world building não é assim tão fantástico. Na verdade, os demais territórios criados pelo autor não são apresentados na série, mas podemos notar, em algumas citações, povos muito parecidos com o que conhecemos na história, como Vikings e outros.

A criação dos personagens foi muito boa, destacando Will, Horace e Halt, os três personagens principais desse primeiro livro da série.

Horace, no início do livro, é um garoto arrogante e irritante que vive implicando com os demais, mas com o virar das páginas podemos notar uma evolução excelente nas ações do garoto, que cria um laço de amizade fortíssimo com Will.

Horace Altman
Will é o maior destaque da obra (claro!), tendo um notável amadurecimento físico e psicológico durante o treinamento com Halt.

Halt, o mestre arqueiro, é uma incógnita. Sério, inexpressivo e quieto.

"De onde ele tinha vindo? Will tinha certeza de que não havia mais ninguém na sala e não tinha ouvido o barulho de nenhuma porta se abrindo. Então ele se lembrou de como o arqueiro conseguia se envolver no estranho manto verde-acinzentado e se misturar ao ambiente, escondendo-se nas sombras até ficar invísivel."

Todos foram bem construídos e inseridos na trama. Alguns mereciam um maior destaque (Gilan), mas creio que nos próximos livros eles devem ser mais comentados e apresentados.

Um dos temas que mais me chamou a atenção na leitura, foi como o autor inseriu um fator importantíssimo no meio da obra: Bullying. Todos nós sabemos que bullying não é uma coisa boa, e um dos personagens sofre com isso, o que contribui para sua mudança de personalidade.

A batalha, o clímax final do livro, é bem rápida. Faltaram descrições e mais cenas de ação, porém, nada que prejudique muito a obra, pois mesmo sendo rápida e vaga, a batalha ainda prende o leitor.

O livro possui muitos clichês que não passam despercebidos. É aquela típica história de "um garoto se torna aprendiz de tal pessoa e acaba melhor que o mestre".

A revisão me incomodou um pouco, mas nada tão gritante assim. A diagramação é boa, com letras grandes e um bom espaçamento. Os detalhes nas folhas chamam bastante a atenção. Particularmente, eu achei a capa bem bonita.

Avaliação:


É isso, pessoal. Espero que tenham gostado da resenha!

  • Ruínas de Gorlan - #1
  • Ponte em Chama - #2
  • Terra do Gelo - #3
  • Folha de Carvalho - #4
  • Feiticeiro do Norte - #5
  • Cerco a Macindaw - #6
  • Resgate de Erak - #7
  • Reis de Clonmel - #8
  • Halt em Perigo - #9
  • Imperador de Nihon-Ja - #10
  • Histórias Perdidas - #11
  • Arqueiro do Rei - #12




5 comentários:

  1. Oi Phelipe

    Esses são mais livros que estão na minha lista de leituras mas nunca passam para a lista de lidos... Já estavam lá a tanto tempo que até me esqueci do que se tratavam e quando tu mencionou que era um infanto-juvenil, confesso que perdi um pouco o interesse. Talvez os deixe para depois, acho que não estou em um clima muito juvenil e tenho me decepcionado com muitos livros ultimamente. :(

    Abraços
    http://perfectpick001.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Mariana!
      Ah, é um infanto-juvenil sim, mas é muito bom. Dá pra refletir bastante em conceitos como amizade e outros. Como você está em uma pegada mais madura, aconselho que não leia agora. Leia quando estiver na dúvida suprema do que ler. Vale a pena.

      Abraço!

      Excluir
  2. Nem preciso dizer que gostei da resenha né? Estou fazendo como vc estava... Coloco na lista e vou deixando pra depois, mas quero muito ler esse livro, porém sempre tive receio de me decepcionar, mas esse medo está indo embora e pretendo ler esse ano! o/

    http://luxuosoestilo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ahh, muito obrigado! Eu sempre arrisco nas leituras, pois gosto de tirar minha próprias conclusões, sem medo de me decepcionar. Caso eu me decepcione, desço a lenha na resenha huahuahauhhauha.

      Abraços! Obrigado pela visita. Passe sempre por aqui :)

      Excluir
  3. Essa coleção e a saga do império são as melhores que já li

    ResponderExcluir