quinta-feira, 26 de maio de 2016

COMENTANDO COM BRAVURA #JUNHO - ESPECIAL DE ANIVERSÁRIO

Sim, o aniversário do Bravura está chegando e são vocês, meus amados leitores, que ganharão os presentes.

Comentando com Bravura não será um sorteio, mas um concurso que acontecerá todos os meses a partir de HOJE (26/05/2016). Como o mês de Maio já está se findando e a minha ansiedade não me deixa dormir, eu decidi antecipar tudo.

Serão dois vencedores nesse primeiro Comentando com Bravura. O primeiro lugar poderá escolher um desses dois livros da imagem. O segundo lugar ficará com o livro restante.


Como posso participar?

  • Seguir o blog publicamente pelo Google Friend Connect (GFC) - está na barra lateral do blog;
  • Cadastrar o seu e-mail na newsletter do blog;
  • Você precisa ter um endereço em território brasileiro;
  • Comentar o máximo de postagens possíveis do blog. Quanto mais postagens comentadas, mais chances de levar um dos prêmios pra casa.
Quais são as regras?
  • Os participantes só poderão comentar uma vez em cada postagem. As respostas nos comentários não serão contabilizadas;
  • Os comentários deverão ter um conteúdo indicando que você leu a postagem. Serão desclassificados os comentários do tipo: gostei; interessante; muito legal e etc;
  • Os participantes poderão comentar até o dia 30/06/2016;
  • Todos os participantes deverão comentar um e-mail para contato nessa postagem;
Informações adicionais:
  • Os prêmios serão enviados em até 30 dias após a divulgação dos vencedores;
  • Em caso de empate no número de comentários, um sorteio será feito.
Não vão perder essa oportunidade, não é? Participem e convidem seus amigos leitores!!!


segunda-feira, 23 de maio de 2016

RESENHA: A RODA DO TEMPO - O OLHO DO MUNDO

Título: O Olho do Mundo
Série: A Roda do Tempo #1
Páginas: 800
Autor (a): Robert Jordan
Editora: Intrínseca (2013)

Sinopse: Um dia houve uma guerra tão definitiva que rompeu o mundo, e no girar da Roda do Tempo o que ficou na memória dos homens virou esteio das lendas. Como a que diz que, quando as forças tenebrosas se reerguerem, o poder de combatê-las renascerá em um único homem, o Dragão, que trará de volta a guerra e, de novo, tudo se fragmentará. Nesse cenário em que trevas e redenção são igualmente temidas, vive Rand al'Thor, um jovem de uma vila pacata na região dos Dois Rios. É a época dos festejos de final de inverno - o mais rigoroso das últimas décadas -, e mesmo na agitação que antecipa o festival, chama a atenção a chegada de uma misteriosa forasteira. Quando a vila é invadida por Trollocs, bestas que para a maioria dos homens pertenciam apenas ao universo das lendas, a mulher não só ajuda Rand e seus amigos a escapar dali, como os apresenta àquela que será a maior de todas as jornadas. A desconhecida é uma Aes Sedai, artífice do poder que move a Roda do Tempo, e acredita que Rand seja o profético Dragão Renascido, aquele que poderá salvar ou destruir o mundo.

O Olho do Mundo
é somente o primeiro livro de uma série finalizada no exterior que conta com meros 14 livros. A série, iniciada por Robert Jordan e finalizada por Brandon Sanderson, é uma das mais aclamadas ao redor do mundo, sendo comparada com outras grandes obras da fantasia. Iniciei a leitura com as expectativas baixas e me surpreendi.




Como já dito na sinopse, nós seremos apresentados a Rand al'Thor, um jovem fazendeiro residente da cidadezinha de Dois Rios. Com a aproximação do Bel Tine (festival que comemora o início da Primavera), Rand e seu pai, Tam al'Thor, se preparam para ir até Campo de Emond, onde o festival acontecerá. Em Campo de Emond conheceremos alguns dos personagens principais que compõe a trama: Matrim Cauthon, Perrin Aybara, Egwene al'Vere e Nynaeve al'Meara.


Coisas estranhas começam a acontecer na estrada para Campo de Emond, quando Rand vê um cavaleiro negro misterioso se espreitando pelas sombras. Quando Rand e Tam chegam ao vilarejo, Mat e Perrin contam a Rand que também viram o cavaleiro e tiveram a mesma sensação que ele. Como se não bastasse, os dois também contam que dois forasteiros estão no vilarejo para prestigiar o festival.



"— Um mau agouro — uma voz áspera anunciou. — Nenhum ninho de cegonha nos telhados do Bel Tine. — Cenn Buie, encarquilhado e enegrecido como uma raiz velha, marchou até Tam e Bran apoiando-se em seu cajado, quase tão alto quanto ele e igualmente encarquilhado. Tentou encarar os dois homens ao mesmo tempo com seus olhos miúdos. — Coisas piores virão, ouçam o que eu digo."

À noite, Trollocs atacam a fazenda dos al'Thor e Campo de Emond simultaneamente. Rand e Tam tentam deter os Trollocs na fazenda, enquanto, no vilarejo, Moiraine e Lan, os dois forasteiros, lutam contra as criaturas. Moiraine é uma Aes Sedai, uma mulher que pode usar o Poder Único, e Lan é seu Guardião, que carrega o juramento de protegê-la até a morte. Tam é gravemente ferido e Rand precisa levá-los para os cuidados de Nynaeve, a Sabedoria do vilarejo.




Rand chega a Campo de Emond logo ao amanhecer, exausto por ter arrastado Tam desde a fazenda. Nynaeve não pode fazer nada para curar o homem e, num ato de desepero, Rand busca ajuda com a Aes Sedai.

Moiraine usa seu conhecimento mágico e consegue ajudar o pai do garoto. Ela acaba explicando o real motivo de estar ali: Rand, Mat e Perrin precisam ser levados para Tar Valon o mais rápido possível, pois um deles pode ser o Dragão Renascido.


Após muita explicação e esclarecimentos, os três garotos partem numa jornada com a Aes Sedai e seu Guardião, tendo algumas surpresas ainda nos estábulos: Egwene, a filha do prefeito e Thom Merrilin, o menestrel, se juntam ao grupo.


É aí que a aventura começa!




Mesmo com um início clichê que nos lembra bastante O Senhor dos Anéis, Robert Jordan consegue mostrar a que veio.


Narrado sempre em terceira pessoa, o livro nos mostra, em sua maior parte, o ponto de vista de Rand al'Thor. Em um determinado momento do livro a narrativa se alterna entre alguns dos personagens principais.

Os personagens são um ponto forte do livro. Impossível não se apegar ao grupo. Os personagens que mais merecem destaque nesse primeiro livro são Lan e Perrin. Lan é um personagem extremamente enigmático, escondendo todo e qualquer vestígio de quem realmente é (o que só nos é revelado no final da segunda parte do livro). Perrin Aybara me ganhou com sua personalidade calma e calculista, sempre pensando antes de fazer qualquer coisa. Em certo momento, Perrin assume a responsabilidade de proteger outro membro do grupo, custe o que custar. Prepare-se para uma surpresa muito agradável com Perrin!


Jordan criou um sistema de magia muito interessante e curioso. O Poder Único vem da Fonte Verdadeira, a Força motriz do universo, que faz girar a Roda do Tempo. A Fonte Verdadeira é dividida em duas metades: masculina e feminina. Saidin, a fonte masculina e Saidar, a fonte feminina, trabalham uma contra a outra ao mesmo tempo em que trabalham juntas. Somente os homens podem recorrer a Saidin (que está maculada pelo Tenebroso) e apenas as mulheres recorrem a Saidar. Nem todos podem tocar a Fonte Verdadeira para canalizar o Poder Único, somente alguns, e mesmo esses precisam de um aprendizado para canalizar o poder sem causar uma destruição ou a própria morte. Algumas pessoas conseguem aprender como canalizar o Poder Único sem treinamento, mas isso é raríssimo.


O Olho do Mundo foi uma grande surpresa pra mim, pois eu já havia lido/ouvido diversas críticas sobre o livro, sendo a grande maioria delas negativas. Eu gostei muito da obra, pois há tempos não lia algo que me prendesse tanto assim, apesar de todos os clichês e semelhanças com O Senhor dos Anéis. O worldbuilding é pouco explorado nesse primeiro livro.


É um livro que eu indico sem medo para quem está procurando uma série com todos os elementos necessários de uma boa fantasia épica. Leiam, não irão se arrepender!



Avaliação:


  1. O Olho do Mundo
  2. A Grande Caçada
  3. O Dragão Renascido
  4. A Ascensão da Sombra
  5. The Fires of Heaven
  6. Lord of Chaos
  7. A Crown of Swords
  8. The Path of Daggers
  9. Winter's Heart
  10. Crossroads of Twilight
  11. Knife of Dreams
  12. The Gathering Storm
  13. Towers of Midnight
  14. A Memory of Light
  15. #EXTRA - New Spring

terça-feira, 17 de maio de 2016

CONTOS DO BRAVURA #2 - A REGRA DO OURO

  A Regra do Ouro - Wagner Weite Thomé (blog Baú do Arquimago)



Estava entediado. Era sempre um tédio no seu turno da guarda. Como se alguém fosse aparecer. A entrada do esconderijo ficava atrás das colinas, numa reentrância que permitia que o guarda pudesse ver qualquer intruso se aproximando.
  Colocou mais lenha na fogueira. Se alguém passasse na estrada veria a fumaça por detrás das colinas, mas não importava. Ninguém passava naquela estrada tão tarde da noite.
  Largou o machado e sentou-se. Duas garrafas de hidromel o aguardavam.
  Saboreou a primeira. Muito melhor do que aquele vinho de Edeni. Os edenianos que os haviam contratado bebiam um vinho tão vermelho que parecia sangue.
  O vinho deles pode ser ruim, mas o ouro é tão bom quanto qualquer outro. Sentia-se bem. Estava recebendo oito moedas por dia, o dobro do que qualquer mercenário nas redondezas.
   Ao ouro edeni. Ergueu a garrafa, brindando consigo mesmo, feliz.
  Até que uma flecha atravessou-lhe a garganta.

****************

  Ar'fael colocou uma nova flecha no arco e esperou. De seu esconderijo, sobre as árvores, viu o guarda agonizar até a morte.
  Esperou um pouco mais, para o caso de algum outro mercenário ter escutado a morte do companheiro. Depois de alguns minutos, resolveu que era hora de se aproximar.
  O mercenário jazia ao lado da fogueira, e sua mão ainda segurava uma garrafa de vinho. Fael abaixou-se e recuperou a flecha. Reparou no rosto do homem. Já o havia visto antes, nos salões do Jarl Harald. Era apenas mais um mercenário dentre tantos os outros que vendiam suas espadas na cidade das cachoeiras.
  Uma inspeção rápida no corpo foi o suficiente para alcançar a bolsa de moedas. Não era muito gorda, mas três moedas eram sempre três moedas.
  Levantou e aproximou-se da porta do esconderijo. Era de madeira, e não estava trancada. Entrou o mais silenciosamente que pôde.
  O primeiro corredor descia. Fael manteve o arco na mão o tempo todo. Esperava encontrar mais mercenários. Os edeni certamente contrataram um grupo grande. Encontrou três armadilhas em sua descida, mas sabia como evitá-las.
  Estava acostumado com esconderijos e masmorras. Sua sobrevivência consistia basicamente em evitar armadilhas. E, principalmente, não ser visto.
  Ar’fael fora um caçador em sua juventude, o que lhe rendeu algum conhecimento sobre armadilhas. Também aprendera a fazer um uso eficiente do arco.
  Mas a caça pagava pouco, o que motivou o meio elfo a buscar um novo tipo de presa. A vida de um caça prêmios era muito mais lucrativa, como logo veio a descobrir.
  O corredor terminava numa espécie de salão amplo. O esconderijo era todo encavado na pedra, no coração das colinas. Fael manteve-se na sombra.
  Havia uma fogueira no centro do salão. Fael contou pelo menos cinco mercenários, embora três estivessem adormecidos. Dois estavam sentados ao redor da fogueira.
  O meio elfo colocou uma flecha no arco e esperou.

****************

  -O idiota levantou o escudo na frente dos olhos. - Riu e bebeu um generoso gole. - Enfiei o punhal na barriga dele.
  Berhal forçou a risada. Isolda já havia bebido demais, e tornava a contar aquela história. Estava cansado de saber sobre seu último duelo. No entanto, preferia que a mercenária estivesse com ele ao redor do fogo do que qualquer um dos outros. Isolda era agradável de olhar, pelo menos.
  Observou-a contar outra história repetida, sem prestar a menor atenção. Deixou-a secar a garrafa e ofereceu-lhe outra. Isolda não era nenhuma donzela, mas Berhal achou que poderia se aproveitar de sua fraqueza pelo vinho.
  Quando ela passou do estado tagarela para o risonho, Berhal pensou: só mais um pouco.
  Um silvo rápido e uma espetada.
  E Berhal não pensou em mais nada.


****************
 
Fael saiu da sombra. Já tinha outra flecha no arco antes que o mercenário caísse no chão. Avançou em direção à fogueira para a mulher que se levantava.
  Ou tentava se levantar, na verdade. Uma flecha no meio do peito fez com que se sentasse novamente. Desabasse, na verdade.
  Um pouco de sorte, afinal. Não esperava matar os dois sem acordar os demais. Os três dormiam sem qualquer suspeita do que estava para acontecer.
  O meio elfo largou o arco e pegou um longo punhal, levemente recurvo. Não gostava de cortar gargantas, mas o trabalho exigia. Eltria teria que lhe pagar um extra...

 ****************

  Eltria era a dona uma hospedaria a três dias da cidade das cachoeiras. Ar'fael era um de seus clientes mais antigos e regulares. O meio elfo tinha um quarto na hospedaria, em troca da carne de caça que ele trazia.
  Havia cinco anos era assim.
  Fael estava no bar, no seu canto escuro de sempre, afastado do balcão. O meio elfo não era de falar muito e Eltria achava isso bom. Ela mesma tinha o que esconder.
  Naquela noite, ouviu dois de seus clientes conversando no balcão:
  -Acabei de voltar da cidade das cachoeiras. Há dois soldados dos edeni lá, fazendo perguntas.
  -Dois edeni? É meio longe pra eles, não?
  -Parece que estão procurando por uma mulher. Uma tal de Irina ou algo assim. Uma fugitiva edeni.
  Eltria sentiu um arrepio subir-lhe pela espinha. Não tirou aquilo da cabeça e não saberia dizer como foi que, naquela noite de movimento, atendeu a todos os clientes. Segurava-se para não tremer dos pés à cabeça.
  Esperou que todos fossem embora ou se retirassem para seus quartos. Quando fechou a hospedaria, resolveu subir ao quarto de Fael.
  Bateu à porta. O meio elfo demorou a atender. Quando a abriu, tinha um punhal na mão.
  -Ah. É você. - Guardou a arma. - Entre.
  -Desculpe incomodá-lo. - Tremia. - Fael, não sei mais a quem recorrer.
  Fael esperou que Eltria entrasse e fechou a porta.
  -O que houve?
  -Ouviu os rumores no bar, hoje?
  -Alguma coisa. - O meio elfo sentou-se numa cadeira, e ofereceu outra. - Os sussurros no salão do Jarl ou os soldados edeni?
  -Os soldados edeni. - Eltria sentou-se. Mexia compulsivamente as mãos de tão nervosa. - Fael, por favor, eu imploro, me ajude.
  -Explique isso melhor, Eltria. O que você tem para temer esses edeni?
  -Sou um deles. – Disse por fim. Se ela precisava da ajuda de Fael, teria de confiar nele. - Eu era. Nasci como Irina da Lua Vermelha, na nobreza de Edenia. Eles estão atrás de mim.
  -Os edeni não viriam tão ao longe no oeste por pouca coisa. O que foi que você fez?
  -Há alguns anos, houve uma guerra civil em Edenia. Fui uma das principais apoiadoras da resistência, o que trouxe desgraça para minha casa. Fiz coisas das quais não me orgulho. - Olhou para o chão. Era difícil encarar Fael. - Quando fomos derrotados, fugi para evitar a forca. Fui tola em pensar que não me encontrariam aqui.
  Esperou que Fael dissesse algo, mas o meio elfo sequer abriu a boca. Ás vezes era extremamente difícil decifrá-lo. Ele era um caçador, mas Eltria sabia que ele já havia prestado serviços mais específicos.
  -O que quer que eu faça? - Fael adiantou-se na cadeira e olhou-a no fundo dos olhos. - Sou um caçador, não um assassino.
  -Eu posso pagar. - Disse, pensando não haver alternativa. - Tenho ouro escondido, o suficiente para viajar e abrir outra hospedaria, se necessário. Esses soldados edeni têm de sumir.
  Fael se levantou. Começou a vestir sua armadura de couro.
  -Sabe que eu posso entregá-la. - Disse, enquanto colocava as botas. - Por que confiar em mim?
  -Não importa quanto esses soldados edeni paguem pela informação. Eu posso pagar mais. - Deu um sorriso, tentando esconder o nervosismo. - Eu cobrirei qualquer oferta que eles farão.
  -Bom saber disso. - Pegou a aljava de flechas e o arco. - Cidade das cachoeiras, eles disseram?
  -Sim.
  -Devem ter ido até lá contratar mercenários. Provavelmente estão escondidos em algum outro lugar. - Dirigiu-se a porta. - Espere por mim aqui, e não pense em fugir. Vou querer o meu ouro.
  E Eltria viu Fael sair obstinado.
  Tinha uma caçada, afinal.

****************


  Os mercenários garantiram um bom espólio. Vinte moedas de ouro, dois punhais novos e um par de botas que serviu perfeitamente. Um deles ainda tinha uma aljava cheia de flechas. Não eram tão boas quanto as que Fael fazia, mas teriam algum uso. Espadas, machados, escudos e armaduras eram coisas com as quais não se importava. As armas tinham pouco valor de venda, e as armaduras eram pesadas demais. Não valia a pena carregar esse peso extra.
  Deixou a antecâmara por um corredor na parede oposta àquela que entrou. Moveu-se silenciosamente, com sua flecha já preparada. Parou ao ouvir vozes:
  -... Nas redondezas da cidade, mas até agora nada.
  -Ela só pode estar por aqui. Todas as pistas nos trouxeram para cá. Não podemos partir de mãos vazias.
  Fael esgueirou-se para ver. Um novo salão se abria sob as colinas. Era bem mobiliado, com armários, camas, mesas, cadeiras e uma fogueira no centro. Esse esconderijo deve pertencer aos mercenários. Os edeni são hóspedes aqui.
  Ao lado da fogueira, os soldados edeni comiam à mesa. Eram dois, assim como os rapazes no bar haviam dito. Suas armaduras negras os denunciavam como oficiais do alto escalão de Edenia. Junto a eles havia mais um homem, provavelmente o líder dos mercenários. Era alto e forte, com uma cabeleira desgrenhada que se misturava à barba e o fazia se parecer com um grande urso. Quando falou, sua voz era como um trovão:
  -Posso colocar dois homens para vasculhar as redondezas. Fazer perguntas, esse tipo de coisa.
  -Não. - Um dos edeni falou. - Precisamos de seus homens para a nossa proteção. Irina é astuta. Se estiver por perto já deve saber que estamos aqui.
  Fael considerou suas opções. Os edeni trajavam suas armaduras que, embora leves, tinham poucos pontos desprotegidos. O meio elfo não conhecia essas armaduras e não saberia dizer se uma flecha poderia atravessá-las. Conseguiria matar um devido ao elemento surpresa; dois, se fosse rápido e tivesse a sorte de que o outro não fosse um mago.
  Além disso, havia o mercenário com que se preocupar. O homem trajava armadura pesada, o que seria um problema.
  A não ser que...
  Fez pontaria. Esperou pela hora certa.
  E disparou.

****************

  Eltria fechou o bar tarde da noite, como de costume. Há quatro dias não tinha notícia de Ar'fael. Começava a ficar nervosa.
  Revisou as trancas de todas as portas, mais de uma vez. Como se isso fosse protegê-la. Estava preparada para fugir se fosse necessário. Poderia ir para o norte, o máximo que pudesse, até os salões gelados do Jarl Thareen. Aquelas estradas eram longas e inóspitas, e uma hospedaria por aquelas bandas seria uma boa alternativa.
  Custou a dormir, revirando-se para todos os lados e suando frio. Quando finalmente adormeceu, foi desperta por batidas na porta do quarto.
  -Eltria, abra a porta, rápido! - Era a voz de Ar'fael, parecendo ofegante. - Eltria!
  O meio elfo entrou apressado no quarto. Estava com um dos braços ocultos pela capa manchada de sangue.
  -O que aconteceu?
  -Eles estão vindo! - Olhou rapidamente pelo quarto. - Pegue tudo o que precisar. Vamos partir.
  -O quê?
  -Rápido Eltria. - Nunca vira Ar'fael tão preocupado. - Consegui atrasá-los, mas eles chegarão antes do amanhecer.
  Eltria atravessou o quarto rapidamente até o esconderijo ao lado da cama. Abriu o cofre e retirou seu último, porém gordo, saco de moedas.
  -Só preciso disso. - Disse, mostrou a recheada bolsa ao amigo. - Vamos precisar de cavalos e...
  -Já estão lá embaixo, os mais rápidos que pude arranjar. - Fael abriu a porta do quarto e saiu. - Se nos apressarmos, poderemos cruzar o rio Kros antes do amanhecer.
  Saíram para a rua e para a noite, e Eltria virou-se para dar uma última olhada na sua hospedaria.
  -Os cavalos estão lá atrás. - O meio elfo puxou-a pela mão, encaminhando-se para os fundos.
  Eltria já não estava tão nervosa quanto antes. Ao menos estava fugindo. Ar'fael a ajudaria.
  Encontraram os cavalos nos fundos da hospedaria, mas não como Eltria esperava.
  -Mas o quê? - Perguntou quando um punhal tocou de leve sua garganta.
  -Mova-se e morrerá. - Disse o soldado edeni, saindo das sombras. - É ela?
  -Sim. - Respondeu o Grande Irmão Akhron. - Irina da Lua Vermelha.
  -Akhron da Árvore Branca. - Conhecia-o. - Não pensei que fosse me encontrar.
  -Confesso que tive ajuda.
  Não acreditava no que estava acontecendo. Olhou para Ar'fael. O meio elfo mantinha sua expressão enigmática de sempre. Grande Irmão Akhron então lhe alcançou uma generosa bolsa de moedas.
  -Prestou-nos um grande serviço, mestiço.
  -Desgraçado. - Eltria olhava para Fael com nada além de ódio. - Disse que cobriria qualquer oferta.
  -O que me faz lembrar isto. - O meio elfo adiantou-se e tomou a bolsa das mãos dela também. - Agora tenho duas recompensas. E uma hospedaria.
  Eltria cuspiu no rosto do meio elfo. Ele apenas sorriu:
  -Boa noite, Eltria. Aproveite a viagem.
  E se retirou.
  Uma pancada atrás da cabeça fez com que Eltria desmaiasse.


****************

  Fael cavalgara por dois dias a fio, apenas para encontrar um ponto estratégico à frente de seu alvo.
  Estava sobre um rochedo, com o sol nascente às suas costas, de modo que quem passasse na estrada e tentasse vê-lo seria ofuscado.
  Sentou e esperou. Eles estão próximos.
  Viu dois cavaleiros virem pela estrada. Um deles carregava algo volumoso e desajeitado. Um corpo desacordado.
  Pôs uma flecha no arco e esperou que se aproximassem. Tivera a chance de estar perto deles. De estudar as fraquezas da armadura.
  Agora sabia onde atirar.
  A flecha voou. Um tiro certeiro e um soldado edeni no chão.
  O outro se assustou. Tentou encontrar o assassino, mas Fael tinha o sol como aliado.
  Mais uma flecha, mais uma morte.
  Desceu do rochedo, para os cavalos que pastavam ao lado da estrada. Os dois edeni estavam mortos, cada um com uma flecha na cabeça.
  Foi até o cavalo que carregava o volume e tirou o pano que o cobria.
  -Vamos, Eltria, acorde. – Ela estava desacordada e amordaçada. Fael deu alguns tapas no seu rosto. - Vamos acorde!
  Eltria abriu os olhos. Ele a desamarrou e retirou a mordaça. Ajudou-a a descer do lombo do cavalo.
  -Seu desgraçado. - Disse ela, alongando-se. Dois dias sendo transportada daquela forma tinham seus efeitos sobre o corpo. - Que ideia foi essa?
  -Vou levá-la de volta à nossa hospedaria.
  -Podia ter me avisado.
  -Teria concordado?
  -Não.
  -Exatamente por isso. Agora estamos muito mais ricos. - Fael sorriu. Nunca tivera tanto dinheiro antes.
  A vida como mercenário era muito lucrativa.


FIM.

sexta-feira, 13 de maio de 2016

MEIO REI - LANÇAMENTOS #5

Direcionada ao público juvenil, Meio Rei é o primeiro livro da série Mar Despedaçado, escrita por Joe Abercrombie. Segundo o pessoal do INtocados, Meio Rei possui uma escrita mais leve, mas que possui as características que consolidaram Joe Abercrombie como um dos maiores escritores de ficção fantástica: história de ritmo acelerado, personagens mais próximos da realidade, diálogos fantásticos e muita ação.


Sinopse: "Jurei vingar a morte do meu pai. Posso até ser meio homem, mas sou capaz de fazer um juramento por inteiro. "
Filho caçula do rei Uthrik, Yarvi nasceu com a mão deformada e sempre foi considerado fraco pela família. Num mundo em que as leis são ditadas por pessoas de braço forte e coração frio, ser incapaz de brandir uma espada ou portar um escudo é o pior defeito de um homem. Mas o que falta a Yarvi em força física lhe sobra em inteligência. Por isso ele estuda para ser ministro e, pelo resto da vida, curar e aconselhar. Ou pelo menos era o que ele pensava. Certa noite, o jovem recebe a notícia de que o pai e o irmão mais velho foram assassinados e não lhe resta escolha a não ser assumir o trono. De uma hora para outra, ele precisa endurecer para vingar as duas mortes. E logo sua jornada o lança numa saga de crueldade e amargura, traição e cinismo, em que as decisões de Yarvi determinarão o destino do reino e de todo o povo.

Joe Abercrombie é autor da trilogia A Primeira Lei (que já foi resenhada aqui no blog). O lançamento de Meio Rei está previsto para o dia 08/06/2016
Resenhas "A Primeira Lei": O Poder da Espada - Antes da Forca - O Duelo dos Reis

quarta-feira, 11 de maio de 2016

HERÓIS #3 - WILLIAM WALLACE

"HERÓIS" está de volta! Dessa vez eu decidi trazer pra vocês a história de um dos personagens históricos que serviu de inspiração para o melhor filme do mundo (minha opinião). Esse personagem, que é cercado de lendas, é ninguém menos que William Wallace.


Quem foi William Wallace?
William Wallace foi um guerreiro escocês que liderou seus compatriotas contra a dominação inglesa imposta pelo reinado de Eduardo I.

William Wallace nasceu em 1270, em Elderslie, Refrewshire, numa família da baixa nobreza. Pouquíssimo se sabe sobre seus primeiros anos e existem períodos significativos de sua vida que não possuem fontes históricas confiáveis.

Em 1296, Eduardo I se aproveitou da crise na sucessão do trono escocês (que estava vazio desde a morte de Alexander III) e se impôs como governante, adotando uma administração inglesa. Poucos meses após o acontecido, uma agitação começou a se generalizar entre os escoceses.

Em maio de 1297, Wallace atacou a cidade de Lanark e matou o xerife inglês William de Hazelrig. Acredita-se que Hazelrig assassinou Marian Braidfoot, esposa de William Wallace, como forma de represália pela rebeldia do escocês.

Após a morte do xerife, a agitação se transformou em rebelião. Diversos homens uniram-se a Wallace criando um exército de rebeldes que expulsou ingleses de Fife e Perthshire.

Em setembro de 1297, o exército de escoceses liderado por William Wallace derrotou uma grande tropa de ingleses no que ficou conhecida como a Batalha de Stirling Bridge. Esse e mais alguns sucessos militares enfraqueceram severamente o domínio inglês na Escócia. Não contente com isso, Wallace moveu seu exército para a Inglaterra, onde começou a lançar novos ataques.



Stirling Bridge Battle
No início de 1298, William foi nomeado cavaleiro e guardião do reino por John Baliol, o rei deposto da Escócia.

Com o choque da derrota em Stirling Bridge, os ingleses, comandados por Eduardo I, marcharam para o norte com o intuito de destruir a resistência e capturar William Wallace. Após muito tempo de marcha, ingleses e escoceses se enfrentaram em Falkirk. Os escoceses foram derrotados e, com isso, a esperança do povo morreu. William escapou com vida da batalha, renunciando seus títulos, que foram assumidos por Robert Bruce e John Comyn.

Wallace foi buscar ajuda na França, retornando à Escócia somente em 1303. Ao retornar, William ficou sabendo da trégua que Robert Bruce havia firmado com Eduardo I e, mais tarde, em 1304, John Comyn também aceitou.


Com uma recompensa para que o capturassem vivo ou morto, William fugiu. Foi capturado em 1305, perto de Glasgow, e de lá foi transportado para Londres, onde foi acusado e julgado por traição. William negou ser um traidor, pois nunca sequer jurou lealdade a Eduardo I.

William Wallace foi executado em 23 de Agosto de 1305. Foi enforcado até quase perder todos os sentidos, depois foi amarrado e teve suas entranhas arrancadas. Por último, sua cabeça foi cortada e seu corpo picado em pedaços. Eduardo I colocou a cabeça de William em um pique na Ponte de Londres, como sinal de advertência para outros "traidores".

Estátua de William Wallace em Aberdeen


O filme "Coração Valente" é inspirado na trajetória do herói escocês, desde sua infância até sua execução.

0
Mel Gibson como William Wallace

Espero que tenham gostado :)



quinta-feira, 5 de maio de 2016

QUANDO O CARTEIRO PASSA... #9 [ABRIL]

 E aí, galera!

O mês de Abril foi ótimo, pois recebi muitos livros, tive minha primeira experiência com trocas no Skoob e aproveitei ao máximo as promoções das nossas tão amadas lojas virtuais.

Quadrinhos, Ficção Científica, Ficção História e por último, mas não menos importante Fantasia.

*Pra quem ainda não sabe, eu criei uma conta no Snapchat há pouco tempo e estou mostrando várias das minhas aquisições e comentando um pouco sobre elas. Pra quem se interessar: phelipe_bravura.



O Espetacular Homem-Aranha: De volta ao lar - Salvat.
Logo no comecinho do mês eu dei uma passadinha em uma banca de jornal aqui perto de casa e comprei essa HQ por um preço excelente (R$ 9,90). De Volta ao Lar é o título do novo filme do Aranha que estará nas telonas em 2017. A arte é de John Romita Jr. e o roteiro ficou por conta de J. Michael Straczynski.
O Capuz: O Sangue vem das pedras - Panini Books.
Peguei O Capuz em uma promoção na Amazon, onde a HQ em capa dura me saiu por R$17,90. Já fazia um tempinho que eu estava de olho nela, mas estava esperando o preço dar uma abaixada pra comprar. O Capuz conta a história de Parker Robbins, um rapaz que não possui emprego fixo e vive de pequenos furtos que são organizados por seu primo. Como se a vida bandida já não bastasse, Parker ainda tem que se preocupar com a gravidez da namorada, os gastos absurdos de sua amante e com sua mãe, que se encontra internada em um manicômio sem muita assistência. Parker adquire poderes após encontrar um artefato que lhe dá poderes, e decide se aventurar no mundo do supercrime. O roteiro foi escrito pelo aclamado Brian K. Vaughan e os desenhos são assinados por Kyle Hotz.

Coleção DC Comics Eaglemoss - Batman: Silêncio (partes I e II); Superman: O Último Filho - Eaglemoss.
Um colega de um grupo no Whatsapp estava vendendo esses três volumes dessa lindíssima coleção por um ótimo preço. Não pensei duas vezes e comprei. Primeiramente eu gostaria de parabenizá-lo pelo excelente estado de conservação das HQ's. Batman: Silêncio (partes I e II) se passa em um Gotham City infectada por uma epidemia de criminosos e, como se isso não bastasse, os inimigos mais mortíferos do Homem-Morcego surgem para lançar sua vida no mais completo caos. O que Batman não sabe, é que esses criminosos são apenas peões na mão de um perigo maior: Silêncio. Em Superman: O Último Filho, o Homem de Aço fica maravilhado com a queda de uma nave kryptoniana no meio de Metrópolis, mas a nave não está vazia. Dentro dela se encontra um garoto kryptoniano que possui os mesmo poderes que o Homem de Aço. Superman decide proteger a criança e criá-la como um filho, mas as autoridades estão preocupadas, pois ninguém sabe de onde realmente possa ter vindo essa criança superpoderosa. As edições de Batman foram desenhadas  por Jim Lee e roteirizadas por Jeph Loeb. A de Superman tem seus desenhos assinados por Adam Kubert e roteiro por Geoff Jhons e Richard Donner.

Deadpool - Panini Comics.
Não resisti quando vi essa HQ do Mercenário Tagarela na banca. A capa é simplesmente linda e reflete bem a personalidade "zoeira" do anti-herói. Essa edição reúne as edições 1-5 de Deadpool Suicide Kings e a primeira edição de Lady Deadpool. Os desenhos são de Carlo Barberi e o roteiro é de Mike Benson.
Authority - Panini Comics.
Authotity é uma equipe de heróis formada por ex-membros do Stormwatch Black. São heróis com uma visão de mundo muito severa e crítica, que formam um grupo insanamente poderoso, capaz de encarar e derrotar incontáveis ameaças ao nosso planeta. O roteiro é de Warren Ellis e as artes são assinadas por Bryan Hitch e Paul Neary. Authority é considerado um dos mais inovadores quadrinhos modernos e é muito bem aclamado pela crítica. Essa edição reúne os volumes 1-8.
Os Miseráveis - Victor Hugo.
O tamanho desse livro assusta. São 1512 páginas de pura ficção histórica (meu gênero favorito). A edição é em capa dura, com dois fitilhos para marcar as páginas. Já li muitas pessoas criticando a revisão desse livro, mas não pude deixar passar. Paguei um preço ótimo nele e pretendo lê-lo ainda esse ano. Os Miseráveis é uma história contada em território francês, logo no início do século XIX, quando Napoleão Bonaparte restabeleceu o regime da monarquia e dividiu o país entre monarquistas e republicanos.
Wild Cards #1: O Começo de Tudo - Vários autores.
No fim da década de 80, George R. R. Martin reuniu uns colegas de RPG e decidiu que eles deveriam transformar suas invenções de jogo em livros. Foi aí que surgiu Wild Cards, uma série de livros composta de contos de diversos autores (Victor Milán, Roger Zelazny, Melinda Snodgrass e muitos outros) e que já atinge a marca de mais de vinte livros publicados. A série nos conta sobre um vírus alienígena que assola New York logo após a Segunda Guerra Mundial. O vírus mata 90% dos infectados, mas o restante sofre tipos diferentes de mutações e uma parcela bem menor ganha superpoderes. Esse e os demais livros estavam por um preço excelente na Amazon, mas só adquiri o primeiro volume. Se for bom, compro o restante.
Salem - Stephen King.
Publicado anteriormente como A Hora do Vampiro, Salem foi o segundo livro da carreira do mestre Stephen King. O livro é ambientado em uma cidadezinha da Nova Inglaterra chamada de Jerusalem's Lot, e nos contará a história de três forasteiros: Ben Mears, Mark Petrie e o Senhor Barlow. Quando esses três chegam à cidadezinha, coisas sobrenaturais e inexplicáveis começam a acontecer. Foi meu primeiro livro de troca no Skoob e eu fiquei muito satisfeito. O livro está em perfeito estado de conservação, não possui nem uma dobrinha sequer.
Mr. Mercedes - Stephen King.
O mais recente lançamento do mestre aqui no Brasil. Mr. Mercedes nos conta a história de um policial aposentado que é atormentado pelo caso Mr. Mercedes, onde um psicopata roubou uma Mercedes e atropelou várias pessoas que aguardavam numa fila por uma oportunidade de emprego. O assassino não deixou rastros, pois o carro era roubado, não existia material para identificá-lo por DNA e, como se isso não bastasse, ele ainda usava uma máscara. Mr. Mercedes é o primeiro livro da Trilogia Bill Hodges. Comprei o livro em loja física e paguei R$35,00 (um preço bem abaixo do que se pode encontrar por aí). Gosto muito de literatura policial e aprendi a adorar a escrita de Stephen King, então, tenho altas expectativas para esse livro.
Tigana #1: A Lâmina na Alma - Guy Gavriel Kay.
Tigana me foi indicado por diversos colegas nos grupos do Facebook, com direito a ser considerada uma das melhores obras de Fantasia da atualidade. Publicado pela antiga Saída de Emergência, Tigana vai contar a história de um povo amaldiçoado pelas negras feitiçarias do rei Brandin, tanto que o próprio nome de sua bela terra não pode ser lembrando ou pronunciado. Anos após a devastação, um grupo de sobreviventes liderado pelo príncipe Alessan inicia uma cruzada perigosa para destronar os reis despóticos que governam a Península da Palma, numa tentativa de recuperar um nome banido. 
Anjo da Noite #1: Caminho das Sombras - Brent Weeks.
Mais uma das apostas da Editora Arqueiro no gênero Fantasia. Caminho das Sombras é o primeiro livro de uma série muito bem aclamada lá fora, que possui mais de 3 milhões de exemplares vendidos. Eu estou de olho nesse livro desde quando a Arqueiro começou com as ações de marketing, fazendo belíssimas divulgações da série. Em Caminho das Sombras, seremos apresentados a Durzo Blint, um homem que considera matar uma forma de arte, o que torna ele o artista mais famoso da cidade. Azoth é um jovem que sobrevive entre os becos sujos da cidade, onde aprendeu que a esperança não passa de uma piada. Como se a vida de pobreza não bastasse, pelas regras das guildas, crianças são espancadas todos os dias. Tendo a morte como único destino, Azoth se vê forçado a vencer o medo e agarrar a chance de se tornar um assassino e, para isso, ele precisa se tornar discípulo de Durzo Blint.

Doctor Who - Vários autores.
Minha mãe estava me devendo um presente de aniversário e eu pedi Doctor Who. Já assisti algumas temporadas da série (confesso que há muito tempo) e sempre gostei das aventuras que os Doutores vivem. Esse livro reúne uma coletânea de 12 contos escritos por 12 autores, onde cada um dos contos conta a história de um Doutor. Podemos notar que, entre os autores, existem nomes super-renomados da literatura, como Neil Gaiman (Sandman, Stardust, Coraline) e Eoin Colfer (Artemis Fowl).
A Estrada da Noite - Joe Hill. (Presente da namorada)
É como diz aquele velho ditado: "Filho de peixe, peixinho é". Joe Hill é filho de ninguém menos que Stephen King e, como se não bastasse, é um dos escritores de Terror mais aclamados da atualidade. Eu já estava querendo alguma obra do Joe desde que assisti ao filme "Horns", com Daniel Radcliffe no elenco. Vou deixar aqui com vocês a sinopse desse, que é o livro de estreia do autor: "Uma lenda do rock pesado, o cinquentão Judas Coyne coleciona objetos macabros: um livro de receitas para canibais, uma confissão de uma bruxa de 300 anos atrás, um laço usado num enforcamento, uma fita com cenas reais de assassinato. Por isso, quando fica sabendo de um estranho leilão na internet, ele não pensa duas vezes antes de fazer uma oferta: "Vou ´vender´ o fantasma do meu padrasto pelo lance mais alto...". Por 1.000 dólares, o roqueiro se torna o feliz proprietário do paletó de um morto, supostamente assombrado pelo espírito do antigo dono. Sempre às voltas com seus próprios fantasmas - o pai violento, as mulheres que usou e descartou, os colegas de banda que traiu -, Jude não tem medo de encarar mais um. Mas tudo muda quando o paletó finalmente é entregue na sua casa, numa caixa preta em forma de coração. Desta vez, não se trata de uma curiosidade inofensiva nem de um fantasma imaginário. Sua presença é real e ameaçadora. O espírito parece estar em todos os lugares, à espreita, balançando na mão cadavérica uma lâmina reluzente - verdadeira sentença de morte. O roqueiro logo descobre que o fantasma não entrou na sua vida por acaso e só sairá dela depois de se vingar. O morto é Craddock McDermott, o padrasto de uma fã que cometeu suicídio depois de ser abandonada por Jude."

O Rei de Amarelo - Robert W. Chambers. (Presente da namorada)
O Rei de Amarelo é uma coletânea de dez contos escritos por Robert W. Chambers na segunda metade do século XIX. Os contos desse livro influenciaram e influenciam diversos autores, desde H.P. Lovecraft até Neil Gaiman e Stephen King. Essa edição reúne quatro contos sobre o Rei de Amarelo e outros seis contos que se alternam entre realidade e sobrenatural em épocas e geografias diferentes.
Tempos de Sangue #1: O Andarilho das Sombras - Eduardo Kasse.
Comprei O Andarilho das Sombras diretamente com o autor pelo Facebook. Eu já estava de olho nessa série há um tempo, sempre lendo resenhas confiáveis (positivas e negativas) até que decidi dar uma chance à obra. O Andarilho das Sombras conta a história de Harold Stonecross, um homem que, para salvar quem ama, sacrifica a alma em um jogo de poder entre deuses decadentes e se torna uma criatura sedenta por sangue.
Se vocês se interessaram pelo livro, podem encontrar o autor no Facebook. Para isso, basta usar a ferramenta de busca e digitar Eduardo Massami Kasse.
Rio: Zona de Guerra - Leo Lopes. (Livro cedido pela editora)
No comecinho do mês eu fui surpreendido com um pacote da Avec Editora que chegou aqui em casa. Entre os livros recebidos estava Rio: Zona de Guerra, escrito por Leo Lopes. De acordo com a sinopse, a história se passa em um futuro próximo, onde as desigualdades sociais e econômicas chegaram a níveis tão alarmantes que o Estado não tem condições de manter a ordem e garantir a segurança pública. Todo o poder é concentrado nas mãos de megacorporações multinacionais que criam e impõem as leis por meio de suas milícias particulares, chamadas Polícias Corporativas. Quando uma prostituta é assassinada no prédio de uma megacorporação, um detetive particular volta para a Barra da Tijuca após anos de exílio para dar início às investigações.
Treze - Duda Falcão. (Livro cedido pela editora)
Um projeto da Avec Editora em parceria com a Argonautas, Treze, escrito por Duda Falcão, é uma coletânea de treze contos. No universo de Duda Falcão habitam monstros antediluvianos, demônios, vampiros, bruxas, feiticeiros e criaturas reanimadas trazidas das garras da morte. Essa coletânea de contos envolve gêneros de fantasia, horror e pulp. Eu já estava de olho nesse livro e pretendia comprá-lo muito em breve, mas fui surpreendido pela Avec Editora. Logo menos eu trarei a resenha desse livro aqui no blog.
Le Chevalier e a Exposição Universal - A. Z. Cordenonsi. (Livro cedido pela editora)
1 semana antes de a Avec me enviar esse livro, eu quase o comprei na Amazon. Eu li diversas resenhas que apontam esse livro como um dos melhores livros nacionais de fantasia de 2014. Le Chevalier e a Exposição Universal é um livro ambientando na França de 1867 com um toque de Stempunk. Estou com as expectativas lá em cima para essa leitura e, como sempre, espero que elas sejam atendidas e/ou superadas. Muito obrigado, Avec .
As Cavernas de Aço - Isaac Asimov.
Que Asimov é o mestre da ficção científica todos nós sabemos, correto? As Cavernas de Aço é o livro que dá início a aclamada Série dos Robôs, que mescla com maestria ficção científica com literatura policial. A trama conta a história do investigador policial Elijah Baley, que é escalado para investigar o assassinato de um embaixador dos Mundos Siderais. A rede de intrigas envolve desde sociedades secretas até interesses interplanetários. Mas nada o preocupa tanto quanto o seu parceiro no caso, cuja eficiência pode tomar o seu emprego, algo cada vez mais comum, pois seu parceiro é um robô.
Trilogia Fundação: Fundação; Fundação e Império; Segunda Fundação - Isaac Asimov.
Mais Asimov pra estante e pro blog! O Submarino estava uma loucura na semana retrasada com vários livros em promoções imperdíveis! Comprei essa trilogia que eu já desejava há tempos por apenas R$39,90. Os livros são todos em edição normal. Fundação é a série que consagrou Isaac Asimov como o pai da ficção científica e, também, foi a série que lhe rendeu o Hugo Award como a melhor série de ficção científica e fantasia de todos os tempos.

As Fontes do Paraíso; O Fim da Infância; Encontro com Rama - Arthur C. Clarke.
Comprado em formato de box no Submarino por apenas R$29,90, esses três livros levam o título de Indispensáveis Arthur C. Clarke. Também vencedor de prêmios como Hugo e Nebula, Arthur C. Clarke é um dos mais renomados escritores de ficção científica de todos os tempos. Sua magnum opus é 2001: Uma Odisseia no Espaço.

Androides Sonham com Ovelhas Elétricas?; O Homem do Castelo Alto; Realidades Adaptadas - Philip K. Dick.
Essas capas são maravilhosas, o autor teve diversas obras adaptadas para as telonas (muitas delas fizeram um sucesso absurdo) e, o melhor, eu paguei apenas R$29,90 nesses livros que vieram em um box chamado Essenciais Philip K. Dick.

Ciclo da Herança: Eragon; Eldest; Brisingr; Herança - Christopher Paolini.
Li Eragon há muito tempo, quando eu ainda era pequeno, e me lembro de ter adorado o livro. Não tive a oportunidade de ler os seguintes, mas sempre fiquei naquela curiosidade para saber o que acontecia na sequência do primeiro livro. Encontrei o box com os quatro livros por R$39,90 na Amazon. Pretendo lê-los ainda esse ano (se a fila permitir).

A Busca do Graal: O Arqueiro; O Andarilho; O Herege - Bernard Cornwell.
Mais promoção do Submarino, só que dessa vez eu quase quebrei a cara. Esse box estava sendo vendido como edição econômica. Vários colegas de grupos compraram e disseram que o box estava sendo entregue como edição normal. Já cresci o olho. Fui ler os comentários sobre o box no Submarino e, realmente, eles estavam vendendo como edição econômica e enviando a edição normal. Eu comprei um box. O box, que todos estavam recebendo na edição normal, veio pra mim como edição econômica e, além de ser edição econômica, também estava todo zoado. Liguei no atendimento do Submarino e reclamei, pois as pessoas estavam recebendo o box normal e eu recebi o econômico. A moça, educada e atenciosa, fez o pedido de troca e disse que em até 15 dias eles trocariam o box pra mim. Antes do prazo que ela me deu eu já estava com o box em mãos. Edição normal, com orelhas e capa em alto relevo, folhas amareladas e caixa super resistente. Eu já tinha comprado O Arqueiro na Black Friday, mas, como os outros livros estavam caríssimos e o box estava barato, comprei novamente. Pretendo ler essa e mais outras obras do autor na Maratona Parede de Escudos (saiba mais sobre a maratona aqui).


Box Essencial Conquistadores: Alexandre, o Grande; Napoleão Bonaparte; Gêngis Khan - Hunter Books.
Como um apaixonado por história, eu não podia deixar passar essa oportunidade de saber um pouco mais sobre os maiores conquistadores da história mundial por apenas R$9,90. Os livros são bem curtinhos, mas, segundo algumas pessoas que já leram, são completíssimos e muito bem escritos. Logo mais tem resenha aqui no blog.



Imaginários Vol. 5: Contos de fantasia, ficção científica e terror - Vários autores.
Eduard Kasse (O Andarilho das Sombras) me enviou esse livreto de contos junto com o exemplar de seu livro. O livreto possui diversos contos, de diversos gêneros e de diversos escritores nacionais. O livreto é bem curtinho, pode ser lido em 1 dia se o leitor (eu) estiver com tempo. Muitíssimo obrigado, Eduardo!





Dessa vez eu ganhei bastante coisa e aproveitei bastante as promoções. Você já leu algum desses livros que eu adquiri no mês de Abril? Comente um pouco sobre ele (sem spoilers, claro) aqui embaixo.

É isso aí, pessoal! Até a próxima!